Início » Nossa forma de adorar a Deus

Nossa forma de adorar a Deus

 

É sua primeira visita a um templo ou capela anglicana?

 

Pense nesta página como seu “Guia de primeira visita a uma Igreja Anglicana” ou um “tour” para se familiarizar com o nosso modo de cultuar a Deus. É importante lembrar que você será bem-vindo(a). Nós lhe damos as especiais boas vindas para que venha participar de nossos cultos.

Católica ou Protestante/Evangélica?

No Anglicanismo, há igrejas que são chamadas de anglo-católicas, por enfatizarem a celebração litúrgica em sua totalidade (incluindo os símbolos, vestes adequadas, decoração, cerimonial e a celebração dominical da Santa Eucaristia). Outras, chamadas “evangélicas”, enfatizam os princípios da reforma protestante do século XVI, como a pregação da Palavra ou formas mais “carismátias” de louvor e adoração. No Brasil, a maioria das comunidades anglicanas fica no meio termo entre essas duas correntes.

Este guia visa mostrar o que, genericamente, você encontrará em uma igreja anglicana, independente da corrente litúrgica ou teológica que venha a seguir.

 

O local da adoração

 

 

 

 

 

(Catedral Anglicana de São Paulo, SP; Ponto missionário na periferia de Porto Velho, RO)

Os templos anglicanos são de vários estilos arquitetônicos  (góticos, clássicos, modernos e até pós-modernos). As celebrações também podem acontecer em pequenas capelas ou mesmo nas ruas, pois o que importa é que a adoração seja “em espírito e em verdade” (João 4.21). Porém, independente do tamanho do local, os anglicanos dão muita importância à organização do espaço do culto, preocupando-se ao mesmo tempo com a simplicidade e com a beleza.

(Altar montado na Praça da Candelária no Rio de Janeiro para celebração com moradores de rua)

Ao chegar, você perceberá uma atmosfera de adoração e reverência, geralmente um ambiente silencioso no qual as pessoas evitam conversar alto para não atrapalhar quem está em oração se preparando para o início da celebração.

(Nave do Templo da Paróquia da Santíssima Trindade – São Paulo, SP

Independente de ser uma grande catedral ou uma pequena capela, seu olhar será levado diretamente ao altar e à cruz. O centro do culto anglicano é o altar eucarístico.

(Altar da Paróquia de São Paulo Apóstolo, RJ);

(“o sacerdote queimará sobre o altar o incenso aromático …

será um incenso perpétuo que as gerações oferecerão ao Senhor – Ex 30.7;

 ”prostaram-se diante do Cordeiro com turíbulos cheios de incenso que são as orações dos santos” – Apocalipse 5.8)

 

Símbolos

 

Sobre, ou perto do altar, há velas para lembrar-nos que Cristo é a “Luz do mundo” (São João 8.12; 9.5). Geralmente há flores, para embelezar a casa de Deus e lembrar-nos a ressurreição de Jesus e as dádivas da criação.

Em algumas paróquias você encontrará sobre o altar um exemplar das Escrituras Sagradas e o cálice e a patena da Santa Comunhão, cuidadosamente revestidos por linhos com as cores próprias da estação litúrgica. Em algumas comunidades, esses poderão estar colocados em uma mesa próxima ao altar chamada “credência”.

Sobre o altar ou na parede de fundo você encontrará também uma cruz, símbolo máximo do cristianismo. Em algumas paróquias você verá um sacrário (local onde são reservados os elementos eucarísticos para enfermos) e um turíbulo (compartimento usado para incensar o altar em algumas celebrações).

(Altar da Paróquia de São Lucas em Londrina, PR) – Observe as velas, flores, os elementos eucarísticos cuidadosamente cobertos e o báculo na mão esquerda do bispo (símbolo pastoral)

Você encontrará também, em um dos lados, o   púlpito para a proclamação da Palavra de Deus; dali, as Escrituras são lidas e o sermão é pregado. A Proclamação do Evangelho, porém, será feita, geralmente, no centro da comunidade. Em muitas igrejas, você poderá encontrar também um “atril” (um púlpito menor) do lado oposto ao do púlpito onde é feita a pregação. Nesse caso, o atril será usado para as leituras do Antigo Testamento e das Epístolas. A liturgia anglicana dá grande ênfase nas Sagradas Escrituras e na proclamação do Evangelho

O Ato de Adoração: A Liturgia

 

Nas celebrações anglicanas todas as pessoas participam. Nos bancos, você provavelmente encontrará exemplares da Bíblia, do Livro de Oração Comum (LOC) e hinários ou cadernos de cânticos. O LOC é o principal livro litúrgico da Igreja e permite que a congregação participe ativamente em cada serviço. É um livro comunitário e totalmente baseado na Bíblia. O dirigente da celebração indicará as páginas onde se inicia a liturgia.

Durante a celebração haverá momentos em que todos se ajoelharão (durante a confissão de pecados ou durante as orações – em algumas comunidades onde há comungatório, as pessoas comungarão ajoelhadas).

Em outros  momentos  todos  levantarão (durante o  cântico dos  hinos e/ou  salmos,  durante a  proclamação  do Santo  Evangelho, a  recitação do  Credo e  durante a  Grande  Oração Eucarística).

Em outros momentos todos estarão sentados (durante as leituras do Antigo Testamento e das Epístolas, no momento do sermão e durante os hinos do coral).

Em muitas comunidades você participará de um momento significativo em que as pessoas se cumprimentam – é o “abraço da paz”. Dependendo das comunidades, esse momento acontecerá antes da oração eucarística ou após a despedida.

Nas celebrações também há um momento de ofertório, durante o qual os membros da Igreja oferecem suas vidas e sua contribuição financeira para a manutenção da Igreja. Em algumas comunidades haverá coletores que passarão pelos bancos recolhendo as ofertas do povo e depois levando-as até o altar; em outras comunidades, as próprias pessoas se deslocam até a frente do altar, depositando suas ofertas em um compartimento próprio. Sempre lembramos aos visitantes para que não se sintam constrangidos nesse momento, pois embora o ofertório seja parte integrante do culto cristão, é também um dever e responsabilidade dos membros da Igreja. Participe sem medo. Não usamos a fé para extorquir ninguém.

Os principais serviços religiosos

O culto principal da Igreja é a Santa Eucaristia (também chamada “Santa Comunhão” ou “Santa Missa”) e, se a comunidade contar com um clérigo-residente é celebrada todos os domingos (dependendo da comunidade também em algum outro dia da semana). Se não houver um ministro-residente e a comunidade for atendida por “ministros-leigos”, esses poderão distribuir os elementos consagrados, se forem autorizados pelo bispo diocesano.

Outro serviço religioso é a Oração Matutina ou Vespertina. Esses ofícios consistem de salmos, leituras bíblicas e orações e podem incluir um sermão. Geralmente em todos os ofícios há hinos e cânticos de louvor.

Há outros ofícios com liturgia própria que são celebrados de acordo com as circunstâncias ou épocas do ano (batismos, ordenação, sagração de bispos ou bispas, ofício da 4ª feira de cinzas, ofício de lavapés, ofício das 7 palavras da cruz na 6ª feira da Paixão, etc).

(Cerimônias de Ordenação)

O que o clero e outros oficiantes vestem?

As vestes usadas durante a celebração por clérigos, clérigas, ministros leigos, acólitos (auxiliares) e coro   têm suas raízes no Antigo Testamento (Êxodo 39; Levítico 8.30ss; Levítico 16.4ss, 16.32ss, etc). A Igreja Primitiva preservou essa tradição dando a ela novos significados à luz da ressurreição de Cristo.

O coro geralmente usa uma batina preta ou escura e uma túnica branca e larga chamada “sobrepeliz”.

Crianças, jovens e adultos que auxiliam na condução da liturgia são chamados “Acólitos” e usam uma veste escura (azul, preta ou vermelha) coberta por uma sobrepeliz (veste branca).

(crianças acólitas da Catedral do Mediador – Santa Maria, RS e da Paróquia Cristo Rei na Cidade de Deus – Rio de Janeiro, RJ)

O clero também pode usar batina e sobrepeliz com uma estola caindo sobre os dois ombros (se for padre) ou transversal, sobre o ombro esquerdo (se for diácono ou diácona). Outra veste familiar é a alva, uma túnica branca com mangas que cobre o corpo do pescoço aos tornozelos. Sobre ela (ou sobre a sobrepeliz), ministros ordenados usam sua estola.

Durante a Santa Eucaristia, um bispo ou sacerdote normalmente usam uma casula (capa circular que cobre o corpo) sobre a alva e a estola. A veste correspondente do diácono tem mangas e é chamada dalmática.

Bispos, além da casula, em alguns ofícios usam também a mitra e o báculo pastoral.

(à esq. Revmo. Dom Almir dos Santos, bispo visitador do Distrito Missionário ao lado do Rev. Hugo Sanchez, de Ariquemes; à direita os Revmos. bispos Hiroshi Ito, Celso Franco e Naudal Gomes)

 

Não se sinta envergonhado(a). Você é bem-vindo.

 

Ao visitar uma igreja anglicana, você será respeitado como nosso convidado. A boa hospitalidade é, para nós, algo sagrado, pois todos fomos, em Cristo, acolhidos por Deus. Você não será apontado de forma embaraçosa, nem requisitado a ir à frente da congregação. Você adorará a Deus conosco.

Caso você queira saber mais sobre a Igreja Anglicana ou como tornar-se membro, o(a) sacerdote irá prontamente responder às suas questões e sugerir os passos para se tornar membro. Veja também mais informações na página “Identidade Anglicana”

Em Campo Grande (MS), visite a Capela da Inclusão:

Rua do Pandeiro, 123 (Bairro Tiradentes)

(Seguindo pela Av. Marquês de Pombal,

1a rua após o Shopping das Araras)

Fone: 3028-3156

Deixe o seu Comentário!

Deixe o seu comentário em baixo. Pode seguir os comentários através do RSS Feed.

Seja educado, não insulte e não faça offtopic. Obrigado.

Pode utilizar as seguintes tags HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Este blog utiliza Gravatars. Se ainda não tem um, crie um em Gravatar.com.